Followers

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

“Tenho um histórico de tomar decisões muito rápidas em relação aos homens. Sempre me apaixonei depressa, sem avaliar os riscos. Tenho tendência não somente a ver apenas o que há de melhor nas pessoas, mas a partir do princípio de que todo mundo é emocionamente capaz de alcançar seu potencial máximo. Já me apaixonei pelo potencial máximo de um homem mais vezes do que consigo enumerar, em vez de me apaixonar pelo homem em si, e em seguida agarrei-me ao relacionamento durante muito tempo (algumas vezes, tempo demais), esperando que o homem chegasse à altura de sua própria grandeza. Muitas vezes, no amor, fui vítima do meu próprio otimismo.”


 Comer, Rezar, Amar

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar, sua opinião é muito importante pra mim! :)Beijos